58.

A semana passada tive a grande surpresa de encontrar os fantásticos Kumpania Algazarra a tocarem ao vivo em plena Rua do Carmo (o Eduardo também os viu e ouviu). A sua música é simplesmente irresistível e, nos tempos que correm, foi ainda mais bonito testemunhar a magia da música em acção, contrariando o pessimismo vigente e fazendo dançar centenas de pessoas que por ali passavam. Este fim-de-semana voltei ao Chiado e enquanto fazia este desenho vi uma das cenas mais tristes a que assisti nos últimos tempos: rodeados duma pequena multidão, os Kumpania Algazarra lá estavam de novo a espalhar alegria gratuitamente (só compra o CD quem quer – 10€ bem empregues, já agora) até ao momento em que chegaram dois Polícias que os obrigaram a arrumar os instrumentos e a sair do local. O povo bem assobiou e manifestou o desagrado mas não conseguiu evitar o fim da festa. Não sei se houve alguma queixa ou se foi simplesmente mais uma absurda demonstração de como o poder pode ser mal exercido, só sei que este país anda com a mania que é muito “moderno” mas não é assim que lá vai e o facto daquela dupla de agentes da autoridade ter chegado ao local de Segway, só torna tudo ainda mais ridículo.

(translate.google.com.br) Last week I had a great surprise finding the fantastic Kumpania Algazarra playing live in the middle of Rua do Carmo (Eduardo also saw and heard them). Their music is simply irresistible, and in these times, it was even more beautiful to witness the magic of music in action and making dancing hundreds of people who passed by. This week-end I went back to Chiado and while doing this drawing I saw one of the saddest scenes I have witnessed in recent times: surrounded by a small crowd,  the Kumpania Algazarra were there again spreading joy for free to (only those who want to bought a CD – 10 € well spent, in fact) until two policemen arrived and forced them to pack the instruments and leave. People whistled and expressed regret but could not avoid the end of the party. I do not know if there were any complaints or if it was just another absurd demonstration of how power can be bad exercised, I just know that this country wants to become “very modern” but is going all the wrong way and the fact that those policemen have come to the site by Segway, only makes it more ridiculous.

4 Replies to “58.”

  1. A ilustração já marca alguns avanços no domínio da caneta sobre o iPad.
    Há que dar valor a estas aguarelas digitais, porque se é mais fácil “picar” uma cor, é muito mais difícil desenhar um linha da forma que desejamos.
    Está com tridimensionalidade, movimento, e com uma boa dose de optimismo cromático 🙂
    Já essa intervenção da polícia, já disseste tudo… é mesmo triste.

  2. Será que somos um povo triste por coisas desse género a acontecerem durante muitas gerações?… Este blog, que hoje vi com mais atenção, está muito interessante.

  3. Provavelmente o motivo é mesmo esse Eduardo, mas já ia sendo altura de fazermos por ultrapassar esse trauma.

    Muito obrigado pelo elogio. Ele significa muito para mim porque se o meu blogue existe isso é em grande parte culpa do incentivo que o teu livro e os teus posts me deram.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s