74.

O meu desenho dava um filme. Se há algo que sempre me fascinou no mundo dos desenhos foi ver outras pessoas desenhar. Ninguém desenha a mesma forma da mesma… forma. Todas as opções tomadas são únicas e aquilo que na cabeça de quem está a desenhar parece óbvio, na cabeça de quem assiste só começa a fazer sentido lá muito mais para a frente. Uma das minhas lembranças mais antigas relacionadas com este assunto prende-se a um programa televisivo da minha infância chamado “Jornalinho” onde um senhor desenhava as mascotes do programa num bocado de papel de cenário, em contra-luz. Eu assistia àquilo fascinado, admirado pelo facto de ele começar os narizes sempre pelo sítio onde eu terminava os meus narizes. Mais tarde, ao verem-me desenhar, amigos meus confessaram-me sentir o mesmo que eu sentia ao ver nascer aqueles desenhos: uma total incompreensão perante aqueles riscos, e os espaços entres os riscos, manchas de tinta que vão dividindo a folha em pequenas parcelas até que a folha deixa de ser folha e os riscos deixam de ser riscos e tudo passa a fazer sentido.


One Reply to “74.”

  1. Gostei muito desta, ficava bem na minha sala! Está com uma luz mesmo positiva!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s