116.

AYAMONTE. Primeiro repetimos as coisas por graça, depois já as repetimos tantas vezes que as transformámos num hábito. Mas quando as repetimos vezes suficientes, damos por nós e elas são tradição. É isso que se passa com a ida anual a Ayamonte. Antigamente íamos lá pelos caramelos, hoje vamos lá já ninguém percebe muito bem porque (à parte o preço do Gasóleo) mas a ocasião é sempre uma festa. São as compras improváveis, o carro atestado, o maravilhoso jantar de tapas na Casona mais os camarões do Ramon para trazer. Hoje foi dia de lá voltar, e voltou a ser divertido. ::: Este desenho foi feito o ano passado numa esquina da Calle Lusitania, virado para a Praça junto à Marina, enquanto bebia uma Orchata de Chufa comprada ali mesmo na loja da esquina. Num copo de vidro (“Beber Orchata num copo de plástico é como beber vinho num copo de plástico: não se faz!”, disse-me a senhora antes de o servir) que vem literalmente gelado. Há poucas bebidas mais refrescantes e saborosas para se beber naquelas ruelas escaldantes. Aconselho vivamente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s