135.

São Pedro do Sul (16/25). Junto ao rio Vouga, mesmo a morder-lhe as margens, há um caminho para passeios que são já doutro tempo. E no entanto, eles continuam a fazer-se por ali, com toda a calma. ::: Tectos de flores liláses, sombras de árvores centenárias, pedras cobertas de musgo, banquinhos de madeira forrados com almofadinhas para as nádegas mais sensíveis e fontes de água fresca a pontuarem o caminho. ::: O painel de azulejos que encimava esta, remete-nos para outros conceitos e outros líquidos. O amor, esse, andava pelo ar mas da fonte ainda era água o que brotava.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s