A Planta Mais Triste Do Mundo


Um dia conheci a planta mais triste do mundo.

Vive numa cave da Reboleira, com uma fila de janelinhas rasgadas, onde o sol entra a custo filtrado por vidros daqueles com arame por dentro.

E essa cave é uma Repartição das Finanças.

Está para ali, sabe Deus há quanto tempo, a fotossintetizar no meio do pó dos processos, das pilhas de papéis amarelados, dos gorduchos peixinhos-de-prata.

Passa o dia a ouvir palavras – “penhora”, “contribuição”, “imi”, “notificação”, “já tirou a senha?”, “caducado”, “imposto”, “isso agora…” – mas ninguém conversa com ela.

E não sabe o que é a música.

Um dia desenhei a planta mais triste do mundo por piedade.

LgmtCnht_PlantaFinanças

A menina do mar


LgmtCnht_MeninaDoMar

“(…) A Menina pôs a sua cabeça dentro do cálice da rosa e respirou longamente.

Depois levantou a cabeça e disse suspirando:

– É um perfume maravilhoso. No mar não há nenhum perfume assim. Mas estou tonta e um bocadinho triste. As coisas da terra são esquisitas. São diferentes das coisas do mar. No mar há monstros e perigos, mas as coisas bonitas são alegres. Na terra há tristeza dentro das coisas bonitas. (…)”

Sophia de Mello Breyner Andresen

240.


WKS LgmtCnht Páscoa

WORKSHOPS PáSCOA´2014. Uma vez mais, as inscrições são (muito) limitadas. É despachar, meninos e meninas, é despachar!

Mais informações aqui. Inscrições pelo ligeiramentecanhoto@gmail.com