183.


OLHA O PASSARINHO. Este desenho, tecnicamente tão simples, foi um dos que mais gozo me deu fazer em toda a minha vida. Depois de dar por terminada mais uma aula e enquanto aguardava pelo meu filho, sentei-me no recreio a desenhar. Um aluno meu e um colega do meu filho aproximaram-se e perguntaram-me o que estava eu a desenhar. “Aquela árvore ali” respondi-lhes. Sem me dizerem mais nada, correram para lá os dois e ali ficaram, muito quietos e sorridentes, à espera que eu lhes tirasse o retrato com a minha esferográfica. Aqui está esse instante revelado. Obrigado Gonçalo, obrigado Tomás.