169.


COLA. Comprei este bloco à confiança. Sei por experiência própria que a Windsor & Newton é uma boa marca. Foi por isso para mim um espanto quando ele se começou a desfazer poucas semanas depois de o começar a utilizar. Tempos depois, em conversa com uma especialista, fui informado que “a W&N é boa sim mas em tintas, não em papéis”. Até chegar à última página, o próprio bloco encarregou-se de me provar que a senhora tinha razão: a “espinha” da encadernação desfez-se completamente e comecei a ter um conjunto de folhas soltas envolto numa capa dura. Nem a fita-cola me valeu.

160.


BARRIGA. Ainda não sabíamos mas daí a seis dias nasceria a nossa filha. Naquele dia só sabíamos do tamanho daquela barriga. Nas semanas finais de uma gravidez, uma cadeira é o objecto mais precioso e esta serviu para retomar o fôlego antes das experiências culinárias que, a pedido do nosso filho, todos fomos aprender ao Pavilhão do Conhecimento. ::: Desenhado directamente a Caneta de Água com duas cores de tinta da china.

156.


CAPRICCIOSA. Mais um desenho feito na Capricciosa do Parque das Nações. Enquanto esperava pela minha massa, desenhei o Chef a fazê-la. Ele é mais uma daquelas pessoas que, sempre que revejo, me traz a estranha sensação de o conhecer desde sempre. Só porque o desenhei um dia.

154.


Menina. É muito difícil desenhar um bebé uma vez que todos os traços faciais estão ainda pouco definidos. É um conjunto de linhas tão suaves que nada sobressai. Isto faz com que não haja sequer sombras que realcem as formas e os volumes. Mesmo assim, não consegui resistir ao impulso de desenhar a minha filha, menos de vinte e quatro horas depois de ela ter nascido. Não é do desenho que gosto, é de tudo o que ele me faz lembrar.

%d bloggers like this: